O remédio é não ficar doente

Depois de uma semana normal eis que me aparece uma velha conhecida, a sinusite. Se me permitem dizer: Que prejuízo essa doida me dá! Além de me deixar de cama, me faz perder o dia de trabalho, o final de semana e ainda tenho que comprar remédios para tratar da mesma.

Apesar do pior ser o mal-estar, vale ressaltar que o preço dos remédios não ajudam muito no processo de melhora, se não física, financeira. O preço dos remédios nesse período inflacionário está bem alto. Não que antes não fosse caro, mas fiz uma pequena comparação de valores com os remédios que comprei e correspondeu a uma média de 6% desde a última vez que tive que comprar os remédios e isso não faz 1 ano!

Imagem retirada do site: https://paralemdoagora.wordpress.com/

Fico imaginando como fazem os idosos e os doentes crônicos. Manter um tratamento longo pode sair bem caro e o fato de não ter escolha, como reduzir a quantidade de remédio consumido ou parar de tomar algum remédio, pesa ainda mais. Além disso, temos as consultas médicas, que pra quem não tem um plano de saúde, saem por um ou dois olhos da cara. O plano de saúde é essencial, embora os preços também não sejam tão amigáveis!

Mas voltando ao ponto financeiro negativo de se ficar doente, vale ressaltar que estar bem preparado para momentos como esse é primordial. Ter uma reserva de emergência para remédios é uma saída e criar essa reserva não é nada difícil, especial ou de outro mundo, basta que cada um se conheça bem e saiba mais ou menos quanto gasta com remédios, tratamentos, consultas e outros gastos esporádicos como por exemplo: táxi para ir ao médico e a gorjeta do menino de entrega da farmácia. Com essa informação, fica fácil começar a criar uma reserva que permitirá arcar com os gastos ou com parte deles nos períodos em que de fato ficar doente.

Tem muitas pessoas que fazem um verdadeiro estoque de remédios em casa e tirando os que são consumidos regularmente, não acho interessante fazer isso. Remédios também possuem prazo de validade! Isso pode significar um bom dinheiro sendo jogado fora. Além disso, a automedicação é um problema sério, todo mundo é um pouco médico e 'sabe' o que é necessário para cada tipo de doença. Quanto dinheiro gasto desnecessariamente!

Aqui em casa já tivemos época em que juntávamos um dinheiro qualquer num pode e esse era usado para situações diversas, uma delas era comprar remédios e pagar gorjetas. Ainda fazemos isso e, embora com bem menos afinco, funciona bem! Não é nenhuma reserva, mas auxilia nos casos mais rotineiros e às vezes permite até a comodidade de não ter que sair de casa para comprar algo necessário.

O fato é que cheguei a uma conclusão bem consistente: Gastasse tanto com a doença e com as diversas despesas que estão associadas à ela que fazer uma reserva só pra isso é muito interessante, mas o remédio mesmo é não ficar doente!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Me diga o que achou.. comente!