Wall Street - O Dinheiro Nunca Dorme.. Não mesmo!

O filme "Wall Street - O Dinheiro Nunca Dorme" é um filme de 2010 que é sequência do filme "Wall Street - Poder e Cobiça" de 1987. Em ambos os filmes temos a presença do ator Michael Douglas, que interpreta o Gordon Gekko, um ganancioso operador do mercado financeiro que não tem medo de realizar fraudes para alcançar seus objetivos cobiçosos.

A relação entre o filme e a realidade é bem tênue, ao mesmo tempo que se acredita no enredo do filme pode-se dizer que é difícil presenciar ou ouvir sobre a vida em Wall Street. A presença de milionários investidores e herdeiros de grandes fortunas na bolsa não é novidade, mas a operação, o cara que respira dinheiro, assiste a vida da bolsa através de gráficos e os relatos desse, não estão em muitos filmes, pelo menos não de uma forma ampla.

Esse é um daqueles filmes que você espera que não acabe (Pelo menos foi assim pra mim!) e vale ver na ordem cronológica, apesar de não haver problemas em assistir na ordem que for. Algumas pessoas vão pensar que vão assistir e sair experts em investimentos, ganhando rios de dinheiro. (Acredite, não é assim que funciona!).

Imagem retirada do site: https://viadeacesso.files.wordpress.com/

Um telefone, diversos monitores, um salão cheio de pessoas histéricas e loucas, um painel com as cotações em tempo real e uma língua própria. Esse é um pequeno retrato do filme, porque a ganância com certeza é o ator principal (Is greed good?). O fato é que ser ganancioso não é ruim e não tem nada de errado em querer alcançar o sucesso em algum ramo da vida ou em todos, o problema é como chegar ao auge sem diminuir os outros. Se fosse sintetizar o filme, usaria uma frase do próprio: "Tudo se resume a dinheiro, rapaz. O resto é conversa." - Wall Street - Poder e Cobiça (1987).

Umas das frases marcantes do filme e que qualquer pessoa pode levar como um ensinamento para a vida como um todo é: "Insanidade é fazer a mesma coisa e esperar resultados diferentes". Mas a que mais gosto é: "O dinheiro é uma vadia que nunca dorme. E é ciumenta. Se você não prestar muita, muita atenção, quando acordar de manhã ela pode ter ido embora pra sempre". (Essa frase apesar de forte é bem verdadeira, atenção é primordial em qualquer investimento)

Esses filmes são um marco das finanças no cinema. Eu recomendo muito! Coloque o dinheiro pra trabalhar, vigie e procure ser um ganancioso com limites e por fim lembre-se: você pode até dormir.. mas o dinheiro nunca dorme!

Segue o link para o filme de 2010:
http://www.filmesonlinegratis.net/assistir-wall-street-2-o-dinheiro-nunca-dorme-dublado-online.html


Pré ou pós-fixado?

Diante das muitas opções de ativos presentes no mercado (CDB - Crédito de Depósito Bancário, LCI - Letra de Crédito Imobiliário, LCA - Letras de Crédito do Agronegócio, Tesouro Direto, entre outros), há uma questão que qualquer investidor irá se deparar em algum momento: invisto em ativos pré-fixados ou em ativos pós-fixados? Só para esclarecer, os pré-fixados são aqueles que possuem um percentual de taxa de retorno pré-definido, por exemplo: 10% ao ano e os pós-fixados utilizam índices para definir a remuneração, podendo inclusive haver uma mescla entre índice e um percentual pré-definido, como por exemplo: IPCA (famoso índice da inflação) + 5%.

Vale ressaltar que o perfil do investir pode ser importante nessa decisão, já que aquele que procura ser mais conservador com certeza irá procurar os ativos pós-fixados, com intuito de se proteger da variação da inflação. Por outro lado, aqueles que investem nos ativos pré-fixados entendem que há uma possibilidade dos indicadores caírem e com isso ganhar um valor maior.

Imagem retirada do site: http://seuguiadeinvestimentos.com.br/

Repare que não há uma resposta definitiva para essa pergunta. Pode-se dividir o valor e colocar um pouco em cada tipo, investir de acordo com o estado dos índices e investir com a finalidade de proteger o capital.

Nessa época de fortes pressões sobre os índices, com o Governo colocando todas as suas fichas no controle da inflação, eu resolvi investir nos pré-fixados. Entendo que nesse ano teremos uma tendência de alta na inflação e os outros índices não serão muito diferentes. Mas também acredito que a curto prazo (2 ou 3 anos) veremos uma tendência de baixa e isso pode significar que os que investiram em ativos de médio e longo prazos (5, 10 ou mais anos) podem ver uma queda de rentabilidade na reta final do seu investimento, enquanto os que investiram nos pré-fixados podem ver um ganho em relação aos índices que estarão em vigência. Além disso, há investimentos com retorno de 15% ao ano que pra mim possuem um percentual muito bom. Contudo, o que parece bom pra mim pode não ser pra outros e é nesse momento que deve-se refletir sobre o que fazer. (Afinal, dinheiro não nasce em árvore e está dureza de conseguir)

Vou exemplificar para que fique ainda mais claro a diferença de ganhos entre um ativo pré e um pós-fixado, em momentos diferentes:

Detalhes
- IPCA (inflação): 9% ao ano.
- Investimento inicial: R$10.000,00.
- Ativo com prazo de 10 anos;

Taxa de RetornoValor total (10 anos)
Pré-fixado13% ao anoR$ 113.000,00
Pós-fixadoIPCA + 5% ao anoR$ 114.000,00

Repare que os valores acumulados se distanciam brevemente, ainda assim diria que a diferença de R$1.00,00 é bem relevante. (Pelo menos eu gostaria de ganhar mais!) Além disso, estou contando com o fato de que o valor da inflação não se altera durante todo o tempo. (O que não irá ocorrer)

Se você é o tipo de pessoa que acredita que a inflação não vai recuar, então poderá escolher o ativo com retorno pós-fixado (IPCA + 5% ao ano). Mas se você acredita que a inflação pode cair e que talvez chegue a 6,5% ao ano (Teto da meta do Governo) então poderá decidir pelo pré-fixado. Isso se não levar em conta outros aspectos como: Perfil do investidor, quanto acredita ser um percentual de retorno bom e valor inicial mínimo exigido pelo ativo.

O prazo que coloquei nesse exemplo é relativamente alto para que o investidor se sinta confortável com uma ou outra opção. Além disso, um prazo menor e um acompanhamento dos acontecimentos e decisões do Governo podem fazer com que essa decisão se torne menos difícil. Por isso, acredito ser prudente investir em ativos de curto prazo (até 3 anos) nos momentos de crise. Ainda assim, diria que essa decisão seria mais voltada para saber no que investir o maior percentual do que no que investir tudo, pois acredito na diversificação como meio de proteção do capital.

Vale ressaltar que as definições de curto, médio e longo prazo são pessoais. Talvez para uma pessoa de 70 anos um investimento de 5 anos já seja longuíssimo prazo! (Eu acredito que certamente será!)

Espero que consigam bons percentuais de retorno, sejam pré ou pós-fixados. Bom investimento!


Chaves.. Isso, isso, isso!

Um dos seriados mais legais em décadas é sem dúvidas o Chaves ou no seu original "El Chavo del Ocho". Muito conhecido por muitos e idolatrado por tantos outros, o programa consegue unir humor com simplicidade de uma forma que é no mínimo indescritível. (Engraçado que eu acabei de descrever o indescritível)

Os personagens, ah! Os personagens.. são realmente um conjunto muito harmônico e todos eles possuem uma ligação com o dinheiro! (É verdade, veja só: Seu Madruga não tem, Chaves também não, Sr Barriga tenta ter mais, Dona Florinda recebe uma pensão, Kiko é o tesouro, Professor Girafales é professor, logo não deve ganhar muito, a Bruxa do 71, digo Dona Clotilde, não tinha problemas com dinheiro e a Chiquinha... Ok, nem todos possuem uma ligação clara com o dinheiro, mas cheguei bem próximo, hein!)

A foto não tem autoria porque o Seu Madruga é de patrimônio público!
Porque sorrir ainda é o melhor que podemos fazer! (Felipe Sampaio)

O Seu Madruga ou Don Ramón é o meu preferido, interpretado de forma magistral por Don Ramón Antonio Estebán Gómes de Valdés y Castillo (Eita nome grande!), o cara é simplesmente um gênio.. como pode alguém viver sem pagar aluguel por um período enorme (14 meses) e não ser despejado? Mais do que isso, conseguir dormir em paz, manter o sorriso no rosto e até mesmo viajar pra Acapulco! Tenho a teoria de que ele paga sim, só não paga o atrasado, afinal o número de aluguéis atrasados nunca sai do número 14. Ainda assim, cumpre com seu dever de pai e mantém a casa. (É mais ou menos isso!)

Seu Madruga tem diversos dons, já foi agenciador de artistas estrangeiros especializados em ioiô, boxeador, vendedor de churros, carpinteiro, fotógrafo, pintor, sapateiro, leiteiro, vendedor ambulante, vendedor de balões, garçom e devem ter outras profissões que não me recordo. É fato que ele tentou, como também é fato que nada deu certo! A insistência dele com certeza denota a importância do trabalho, que pra muitos é a principal ou a única fonte de renda.

Uma das coisas mais legais eram suas frases, sempre muito marcantes e sempre muito humanizadas, como: "Não há nada mais trabalhoso do que viver sem trabalhar", essa é bem verdadeira! Ou uma das mais famosas: "Não há trabalho ruim. O ruim é ter que trabalhar", o que de fato faz todo sentido, se fosse feito o que se gosta, o que se tem paixão por fazer, ao invés de procurar profissões que pagam bem, talvez essa frase não fosse tão legítima.

Pode-se aprender muitas lições com o seriado, muitas delas vindas da simplicidade de um personagem sem dinheiro e que não se abatia pela falta de recursos que tinha. Se após escrever esse pequeno post, que não retrata nem um décimo do que o programa representa, fosse questionado o porque de tanto floreio diante desse seriado, diria que: "Foi sem querer querendo".