Encontro a dois.. Vivo valoriza e eu também!

Eu estava ansioso para assistir o novo filme do Star Wars no cinema, o VII episódio da série, (Star Wars: O Despertar da Força) e após um convite irrecusável, fui assistir. Parece que não há nada demais nisso, mas o que faltou dizer foi: Eu paguei meia entrada!! Não, eu não sou mais estudante, embora ainda estude muito por conta da profissão, e não teria direito a essa meia entrada. Você deve está se perguntando: Como esse maluco zueiro trapaceou para entrar no cine com meia entrada? Pois bem, meu pequeno padawan, o Han Solo aqui ganhou essa maravilhosa meia entrada por conta da operadora de telefonia Vivo, através do seu programa Vivo Valoriza. (Adicionei o link para o site no final do post.. Lembrando que qualquer cliente vivo tem acesso ao programa)

O programa é bem simples: Cliente Vivo pode ser cadastrar no programa Vivo Valoriza e ter direito a promoções e descontos disponibilizados pela Vivo com alguns parceiros. (No meu caso foi com o Cinemark) Dependendo do nível de relacionamento de cada cliente com a operadora, promoções como a do ingresso podem ter mais ou menos vantagens. Vale ver em qual você se encaixa, se for cliente Vivo, é claro! Depois disso é só apresentar seu CPF na bilheteria ou no ato da compra no ingresso.com, por exemplo. 


O fato é que gastei R$28,00 pra assistir ao filme com a minha companhia preferida, quando o valor real seria R$56,00. Achei muito bom e ainda tenho direito a assistir mais um filme! (Ah! Não importa o tipo de sala nem o dia e horário, pode ser 3D, XD ou qualquer outra que o desconto é o mesmo) Além disso, existem programações gratuitas de tempos em tempos, como por exemplo: o stand up comedy do Serginho Malandro, que foi no Vivo Rio. (Nesse caso tem que reservar pelo site e está sujeito a uma lotação que pode esgotar. Além de haver uma renovação, óbvia, das atrações)

Com isso, curti um bom filme, com a minha companhia predileta, num dia de descanso atípico e gastando o justo. Agora é continuar acompanhando para participar cada vez mais! Ah.. como é bom ter quem te valorize! Ainda mais quando valoriza você e a sua companhia ao ponto de pagar a metade! Minhas economias agradecem!

Segue o link para o site da operadora:
https://www.vivo.com.br/ (Tem um menu Vivo Valoriza.. só acessar)
Espero que outras operadoras tenham algo parecido!

Lembrando que não ganho nada com a propaganda! Não que esteja recusando.. rs


Os três porquinhos e os investimentos

Existem muitas e muitas versões da história dos três porquinhos e a que eu mais gosto me remete ao mundo das finanças com uma facilidade impressionante. (Adiciono o link para o vídeo do desenho no final do post)

Entendo a história por uma ótica diferente e ainda assim educativa. Na minha história, o lobo mau é conhecido como Inflação ou por seu apelido IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) enquanto os três porquinhos representam pessoas que assumem riscos diferentes.

Retirado do site: http://www.cariocacult.com.br/

Pois bem, a primeira pessoa, digo, o primeiro porquinho não tem um perfil poupador, mas é um trabalhador e tanto que entende que o essencial lhe basta (O essencial é a palha) e quando acha que já tem esse essencial, parte pra realizar o que gosta: gastar, farrear e fazer os recursos sumirem com diversões sem fim. (Resumindo: botar fogo na palha)

O segundo leitão é um pouco mais consciente, gosta do essencial (palha), mas busca investir um pouco melhor, guarda parte dos seus recursos na poupança (madeira), mas adora uma festança e acaba se juntando ao gastador depois de um tempo, fazendo do mundo a sua casa de praia, mas sempre separando um pouco para colocar na poupança.

O terceiro porquinho trabalha tanto quanto os outros, acha legal o essencial, mas gosta mesmo é de economizar e se preparar muito para o caso do IPCA lhe bater a porta para tomar todos os seus recursos. Ele investe na poupança (madeira), mas também busca investir em outros tipos de ativos ligados a índices e que possam lhe proteger do temido IPCA (Esses ativos são como os tijolos). Ele não gosta de farrear e acaba não aproveitando muito as festas. Acredita que tudo tem que se transformar em proteção.

Quando o lobo IPCA chega para visitar o primeiro porquinho, chega ainda fraco, mas ainda assim consegue levar todos os recursos dele. Já não tinha muito mesmo, era só palha! E o porco.. acaba frito! Ainda insatisfeito, o IPCA com sua fome incessante parte para o segundo porquinho, que estava bem preparado, a espera de uma derradeira catástrofe. (Hanram.. sei!) Só que o peludo já estava mais forte e não demorou muito para acabar com a poupança (casa de madeira) do pobre leitãozinho que acabou num espetinho. O canis lupus ou lobo mau, com uma fome de leão (Qualquer comparação com o Imposto de renda é mera coincidência), resolve arrebatar o terceiro porquinho. Contudo, os investimentos diversificados e atrelados aos ganhos do próprio lobo (IPCA) fez com que o nosso vilão aterrorizador não conseguisse fazer um estrago sequer na estrutura financeira desse meu amigo porco.

E é assim que terminamos essa história, com um porco feliz, outros dois não tão felizes e um lobo cada dia mais faminto.

E aí, qual porquinho você é?

Segue o link para o desenho:

Tributação em investimentos isentos.. É brincadeira!

A maioria dos investimentos possuem uma tributação que dependem do tempo do investimento e isso na minha concepção já é um absurdo imenso, mas já é regra e aceita as regras quem quer. Não consigo conceber uma mudança nem mesmo melhoria na educação financeira de uma população com essa falta de incentivo para as aplicações financeiras. Pior que isso, existem algumas poucas aplicações que ainda não são tributadas pelo IR (Imposto de Renda) como a LCI (Letras de Crédito Imobiliário) e LCA (Letras de Crédito do Agronegócio), mas já tramitam processos que almejam tributar esses investimentos. Achou que estava ruim? Pois segundo a proposta do Senador Romero Jucá (PMDB-RR) não só teremos a tributação em todos os investimentos existentes como também haverá um aumento nessa tributação, variando o percentual de acordo com o tempo do investimento.

Um outro absurdo que esse 'representante do povo' propõe é que as mudanças que visam instituir o imposto e os novos valores sejam assumidas a partir de 1 de janeiro de 2016, ferindo princípios tributários estabelecidos na constituição. O princípio da anterioridade que relata que aumentos de impostos só podem vigorar num determinado ano se aprovados até o último dia do ano anterior e o princípio da retroatividade que determina que impostos não podem ser cobrados em períodos que antecedem a sua data de aprovação, são nitidamente ignorados pelo Senador em questão.

Retirado do site: http://ohumaythaense.com.br/

Isso demonstra o quão despreparado estão os nossos representantes, que nem ao menos conhecem a lei e saem propondo absurdos sem fim. Não é aumentando o imposto que as arrecadações irão aumentar e resgatar do buraco o Governo, buraco esse que ele mesmo criou, mas sim diminuindo as taxas, pois assim os investimentos seriam maiores e por consequência a arrecadação teria um ganho significativo.

A tendência, infelizmente, deve seguir o traçado do desinvestimento, pois não valerá mais a pena investir em títulos para no final das contas receber um pouco mais do que a inflação (Isso se conseguir ganhar da inflação) Quer ficar um pouco mais indignado? Então imagine o seguinte:
  1. O Governo precisa de dinheiro e pede ao povo através de Tesouro Direto.
  2. O povo ajuda o Governo investindo no Tesouro (Ok! Ninguém é santo, há recompensas.)
  3. No momento do resgate o Governo te paga o que combinou com você.
  4. O Governo te cobra Imposto de Renda em cima do valor que você emprestou pra ele.
Resumindo o Governo ganhou porque você emprestou dinheiro pra ele e ganhou de novo quando você foi receber seu dinheiro, cobrando imposto de renda sobre o rendimento que você obteve. Que tristeza né! Mas como minha avó dizia: "O combinado não sai caro" (Isso se você souber do combinado, claro!)

E aí, em quem você vai votar para Senador?


Encontro a dois.. E o programa é de índio!

Na terra de Arariboia, fazer programa de índio não era pra ser novidade!

Estamos passando por um momento delicado e não custa nada fazer alguns programas de índio. (Na verdade custa pouco, mas nada, nada, não existe! É até um sonho meu que existisse!) Esses programas são essenciais pra manter o bem estar financeiro sem que se distancie da pessoa amada e além disso pode ser sim uma coisa legal ao contrário do que sugere a expressão!

Por Alexandro Jack

São muitos os fatores que podem levar o casal a fazer um programa de índio: excesso de trabalho, distância,  falta de tempo e aquele fator primordial para o financiamento das saídas e curtições, a falta de dinheiro. Contudo, é possível realizar programas que não envolvem um gasto muito grande permitindo que os programas em casal continuem a todo vapor, como por exemplo: assistir um filme em casa, passear pelo shopping, dar uma volta no parque, fazer sua própria pizza caseira a 4 mãos, passear em locais públicos e gratuitos como museus, bibliotecas, praças, praias e muitos outros.

Há um ponto que não muda e é independente de qualquer programa que seja feito, a companhia. Porque o melhor mesmo é ter uma companhia que te permita estar em qualquer lugar, gastando dinheiro ou não, rindo e fazendo do tempo um espaço único, sem igual e valioso. E estar com uma pessoa que te compreende e que incentive o seu perfil, seja ele mais consumista ou não, deveria ser crucial pra qualquer momento merecedor de registro em memória.

Então libere seu lado tupi e coloque a sua pajelança pra funcionar! (Se possível em pró da economia!) Faça do seu programa de índio um evento! Mesmo que seja só pra dançar a dança da chuva no ritmo do sertanejo universitário..