Tributação em investimentos isentos.. É brincadeira!

A maioria dos investimentos possuem uma tributação que dependem do tempo do investimento e isso na minha concepção já é um absurdo imenso, mas já é regra e aceita as regras quem quer. Não consigo conceber uma mudança nem mesmo melhoria na educação financeira de uma população com essa falta de incentivo para as aplicações financeiras. Pior que isso, existem algumas poucas aplicações que ainda não são tributadas pelo IR (Imposto de Renda) como a LCI (Letras de Crédito Imobiliário) e LCA (Letras de Crédito do Agronegócio), mas já tramitam processos que almejam tributar esses investimentos. Achou que estava ruim? Pois segundo a proposta do Senador Romero Jucá (PMDB-RR) não só teremos a tributação em todos os investimentos existentes como também haverá um aumento nessa tributação, variando o percentual de acordo com o tempo do investimento.

Um outro absurdo que esse 'representante do povo' propõe é que as mudanças que visam instituir o imposto e os novos valores sejam assumidas a partir de 1 de janeiro de 2016, ferindo princípios tributários estabelecidos na constituição. O princípio da anterioridade que relata que aumentos de impostos só podem vigorar num determinado ano se aprovados até o último dia do ano anterior e o princípio da retroatividade que determina que impostos não podem ser cobrados em períodos que antecedem a sua data de aprovação, são nitidamente ignorados pelo Senador em questão.

Retirado do site: http://ohumaythaense.com.br/

Isso demonstra o quão despreparado estão os nossos representantes, que nem ao menos conhecem a lei e saem propondo absurdos sem fim. Não é aumentando o imposto que as arrecadações irão aumentar e resgatar do buraco o Governo, buraco esse que ele mesmo criou, mas sim diminuindo as taxas, pois assim os investimentos seriam maiores e por consequência a arrecadação teria um ganho significativo.

A tendência, infelizmente, deve seguir o traçado do desinvestimento, pois não valerá mais a pena investir em títulos para no final das contas receber um pouco mais do que a inflação (Isso se conseguir ganhar da inflação) Quer ficar um pouco mais indignado? Então imagine o seguinte:
  1. O Governo precisa de dinheiro e pede ao povo através de Tesouro Direto.
  2. O povo ajuda o Governo investindo no Tesouro (Ok! Ninguém é santo, há recompensas.)
  3. No momento do resgate o Governo te paga o que combinou com você.
  4. O Governo te cobra Imposto de Renda em cima do valor que você emprestou pra ele.
Resumindo o Governo ganhou porque você emprestou dinheiro pra ele e ganhou de novo quando você foi receber seu dinheiro, cobrando imposto de renda sobre o rendimento que você obteve. Que tristeza né! Mas como minha avó dizia: "O combinado não sai caro" (Isso se você souber do combinado, claro!)

E aí, em quem você vai votar para Senador?


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Me diga o que achou.. comente!