Imposto de renda e o mito da data de entrega

Segundo muitos economistas e especialistas, a data de entrega da declaração do imposto de renda pode oferecer certa vantagem econômica ao contribuinte. Isso porque segundo os mesmos, quanto mais próximo do fim do prazo for entregue a declaração, mais o governo irá demorar para restituir o imposto (Isso se você tiver imposto a ser restituído) e com isso será acrescido ao valor principal o juros que pode ou não significar vantagem.

Imagem retirada do site: http://bonsinvestimentos.com.br/

É fato que a minha indagação irá seguir pelo lado de que não é bem por aí! Isso se deve a muitos fatores que devem ser examinados individualmente. Para alguns vale a pena à espera e para outros não vale mesmo, por exemplo:
  • Não vale a pena receber por último quando:
    • puder adiantar uma dívida com juros altos.
    • puder adiantar um pagamento que pode ter um desconto maior que o juros ganho.
    • o valor a restituir é muito baixo, qualquer percentual irá render pouco. Nesse caso é melhor ter o dinheiro na mão o quanto antes, assim pode fazer algo realmente útil em um prazo menor.
  • Vale a pena esperar quando:
    • não precisar do dinheiro o mais rápido possível.
    • quiser investir o dinheiro, mas não encontrar uma opção mais vantajosa ou com o mesmo rendimento e período de retorno dado pela receita.
Apesar desses pontos serem muito relevantes, há um outro ponto que acredito ser mais relevante: A multa por não enviar no prazo. Segundo a receita:

"Multa de 1% ao mês-calendário ou fração de atraso, calculada sobre o total do imposto devido apurado na declaração, ainda que integralmente pago, sendo que o valor mínimo é de R$ 165,74 e o valor máximo é de 20% do imposto sobre a renda devido."

Fonte: http://idg.receita.fazenda.gov.br/
* Os valores apresentados são para o ano de 2016, para outros anos podem vigorar outros valores.

O que pode ser feito e é previsto pela receita: a entrega inicial com a falta de algumas informações e quando estiver mais próximo do prazo final enviar uma nova declaração retificando a primeira já enviada.

A minha dica é: se preocupe com os rendimentos tributáveis, informe na declaração e envie o quanto antes. Depois, se for o caso de querer um retorno maior conforme já explanei, adiciona os rendimentos não tributáveis e envia no prazo que achar mais adequado aos seus objetivos. Com isso, não corre o risco de receber uma multa nem de declarar menos do que deveria. Vale ficar atento ao prazo da declaração retificadora, embora a mesma tenha um prazo maior. Segundo a receita, esse prazo é de:


Retificação da declaração
Até 29 de abril de 2016

Após 29 de abril de 2016
É possível retificar?
Sim
Sim, mas no prazo máximo de cinco anos e desde que a declaração não esteja sob procedimento de fiscalização.
** A informação contida nesse quadro é válida para o ano de 2016, podendo ser modificada pela Receita Federal.


Além disso, é importante declarar os rendimentos não tributáveis! Fica mais fácil responder da onde tirou o dinheiro para comprar alguma coisa quando esse dinheiro está presente na sua declaração. Por exemplo: uma poupança com a finalidade de compra de imóvel. Contudo, por não ser tributáveis não há tanto receio no caso de possíveis esquecimentos.

Apesar de ser trabalhosa, um porre e acreditar que nem mesmo a Receita sabe como se faz para declarar o imposto de renda, espero que faça uma boa declaração. Sem multa e com restituição!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Me diga o que achou.. comente!