Questões de condomínio.. que dor de cabeça!

Quem mora em condomínio sabe que dores de cabeça são quase inevitáveis, ainda mais quando a sindicância é feita pelos próprios condôminos, o que pode acarretar em disputas de cunho pessoal. Por outro lado, a decisão por uma administradora ou síndico profissional também precisa ser bem acompanhada para que surpresas não aconteçam.

Ser síndico é pedir pra ganhar inimigos, mas o pior mesmo é ser conselheiro! (Passei a fazer o sinal da cruz antes de entrar nas reuniões e nem sou religioso!) O conselheiro se responsabiliza pela fiscalização e procura auxiliar nas tarefas do prédio, além de auxiliar com conselhos que podem ou não ser seguidos pelo síndico. (A principal diferença é que o conselheiro não é remunerado para ter as mesmas dores de cabeça que tem o representante eleito)


Imagem retirada do site: http://acritica.uol.com.br/

Um condomínio comum tem muitas frentes a serem observadas, como por exemplo: administração do prédio, contas à pagar, controle dos recursos humanos, obras, impostos, leis, registros de documentos e o principal deles, mediação de conflitos. (A quantidade e diversidade de tarefas é algo que necessitaria de uma espécie avançada de ser humano, algo tipo Einstein) A principal razão que me levou a candidatura de conselheiro foi a fiscalização mais próxima visando proteger o meu investimento, o apartamento.

Não sei se por sorte ou puro azar, acabei eleito. Mal sabia o quão desgastante é atuar em qualquer posição a favor do condomínio. Lidar com o dinheiro coletivo, fiscalizar ele e prestar contas, são sempre seguidos de desconfiança. Um fato engraçado é que sempre tem um que diz: "Esse síndico não faz nada!", mas na eleição de síndico esse mesmo proprietário, ao questionado sobre sua candidatura, responde: "Deus me livre ser síndico!".

O fato é que as pessoas perderam a noção de que um condomínio é um conjunto, onde todos deveriam zelar e compartilhar, não só o espaço, mas também os deveres que ele impõem. Contudo, o que se vê são pessoas que são eleitas para Cristo (Esse é o síndico que vincula o seu CPF e acaba respondendo pelo prédio civil e criminalmente) e não representantes de um grupo de pessoas com interesses em comum.

Como bom conselheiro, te dou um conselho: Não seja síndico! Contrate um!


3 comentários:

  1. Pois é. E há síndico que deixa todas as decisões para os conselheiros. E estes acabam sendo procurados pelos moradores para solucionar algum problema já que o próprio síndico não faz nada. Paciência zero para essa situação. Se quis ser síndico, se comprometeu que faça juz ao cargo que lhe confiaram.

    ResponderExcluir
  2. Existe casos ainda como o meu, onde o síndico pega procuração de diversos moradores idosos e se elege infinitamente.

    ResponderExcluir
  3. Agora se coloca no lugar de um gestor de condomínios: atende em média 50 síndicos, 150 conselheiros, inúmeros moradores, centenas de funcionários, inúmeros prestadores de serviços... É para quem sabe. É para quem gosta.

    ResponderExcluir

Me diga o que achou.. comente!