João e o pé de feijão.. repleto de dinheiro

Você pode estar pensando que a história de João e o pé de feijão é só mais um simples conto infantil tentando ensinar alguns valores para crianças. Sinto-lhe dizer que não é nada disso. O que é então? Uma história puramente capitalista, gananciosa e que esconde muito trambique e alguns delitos. Veja só a minha versão capitalista da história:
João, conhecido como Joãozinho por causa da sua baixa estatura, era muito confundido com uma criança, mas na verdade era um falido anão trambiqueiro que se dizia especialista em escambos e trocas de coisas de valor. Ele vivia buscando oportunidades de enriquecer facilmente e não tinha nenhum pudor, sua especialidade era enganar pessoas na internet, principalmente em sites de bate-papo e vendas nos quais se passava por GalalauDaNet.

João vivia com sua mãe na zona rural da cidade, enquanto seu pai tinha um caso grave de bebedeira e participava de uma trupe de circo itinerante como anão palhaço. Tudo o que João tinha era um conjunto de CDs antigos, um velho computador, um skate autografado pelo Bob Burnquist e uma vaca que era uma espécie de lembrança do tempo em que sua família era uma grande produtora de leite, embora essa vaca não desse mais leite algum.

Foi num dia comum e nublado, após ouvir sua mãe reclamar de sua vagabundagem, das tranqueiras que tinha e da falta de responsabilidade com as despesas da casa, que João resolveu que iria ganhar dinheiro, mas dinheiro mesmo, muito dinheiro. Da última vez que procurou um trabalho com um bom salário e que fosse algo que gostasse, tipo diversão que era o seu forte, acabou se inscrevendo para ser dançarino de festas adultas, mas não deu muito certo. Parece que um anão striper não era tão cogitado como ele pensava. Resolveu então fazer um apanhado do que tinha e vender tudo numa pequena venda de garagem para se livrar de coisas velhas e ainda ganhar uma grana.

Imagem retirado do site: http://www.historiaparadormir.com.br/

Foi no bazar que conseguiu fazer uma troca milagrosa: sua vaca por feijões que um senhor astuto dizia que eram mágicos. Em pensar que esse senhor fez um belo churrasco enquanto João momentos depois pensava: "Putz.. e agora!". Quando sua mãe soube, num acesso de raiva, atirou os cinco feijões pela janela da cozinha e murmurou palavras incompreensíveis sobre características não muito boas de João. O mais incrível foi que depois de uma noite chuvosa, com raios e trovões, o amanhecer era de céu limpo, mas como era de se esperar, os feijões não deram em nada.

Sem saber o que fazer e com a moral abalada, João acabou se envolvendo com más companhias e resolveu que iria surrupiar um vizinho metido a rico que tinha como principal característica a força bruta e o físico avantajado. Esse vizinho era conhecido como gigante, tinha uma boa condição financeira, adorava música clássica e morava no terceiro andar de um prédio antigo cercado por trepadeiras. Ao anoitecer, João resolveu escalar as trepadeiras até a janela do apartamento e surrupiar algo de valor, conseguiu sair com uma sacola cheia de pertences valiosos na primeira investida, na segunda roubou um animal entalhado a ouro e na última vez resolvera carregar o micro system turbinado do seu vizinho.

Por sorte, João conseguiu realizar os furtos sem ser percebido, vendeu tudo e entrou para o mundo do crime. Hoje vive repleto de dinheiro, se tornou um dos maiores trambiqueiros do Caribe e está na lista dos dez mais procurados do FBI. Gigante ficou tão atordoado com sua perda material que acabou vendendo o que tinha e se mudou para o Alasca, para nunca mais ser visto. Alguns dizem que foi daí que surgiu a história do pé grande. Sua mãe recebeu uma grande quantia em dinheiro de uma origem desconhecida e conseguiu recuperar a propriedade que quase fora perdida para o governo. Ela mantém uma vida pacata no interior com uma bela plantação de feijões pretos e adora feijoada.
E é essa a história de João.. A verdadeira história! Nua e crua!


Um comentário:

  1. A história de Joãozinho vista por um outro lado. Muito bom! :)

    ResponderExcluir

Me diga o que achou.. comente!