A dificuldade do aluguel

Alugar um imóvel deveria ser algo mais fácil e barato. Entendo que são muitos os receios do proprietário quanto a possível inadimplência do inquilino, mas nos dias atuais encontrar uma pessoa para ser fiador e que esteja qualificado para tal é como encontrar um ser em extinção. Além disso, não queira estar com o nome sujo porque sua ficha será recusada, mesmo que o fiador seja o Bill Gates. (Talvez não seja se for o Bill Gates!) Certo, existem outras possibilidades como o seguro fiança ou valor de caução. Ainda assim, as exigências podem estar muito próximas da inviabilização, fazendo com que o proprietário fique com o imóvel desocupado e tendo que arcar com as despesas do mesmo.
Imagem retirada do site: http://www.leisedireitos.com.br/

Por exemplo, o seguro fiança pode corresponder a um valor igual ao somatório dos encargos do imóvel num mês multiplicados por 1,5 ou 2. Esse valor é cobrado por ano e assegura o proprietário quanto as eventualidades relacionadas ao pagamento. Contudo imagine um aluguel de R$1.000, num condomínio de R$400,00, com IPTU de R$100,00, associados ao seguro que exige 2 vezes o somatório desses valores. Só o seguro irá corresponder a R$3.000 por ano ou 3 meses de aluguel! E pra onde vai esse dinheiro? Pro limbo, porque o inquilino não verá esse valor de volta. A principal vantagem dessa opção está em não precisar de um fiador para fechar um acordo.  (Alguns seguros oferecem serviços de eletricista, chaveiro, vidraceiro e outros, mas são serviços básicos e mediante pagamento de franquia na maioria das vezes)

Uma outra forma de assegurar o proprietário é através do valor caução. Normalmente esse valor corresponde a 3 meses de aluguel com o diferencial da exigência de ser aplicado numa poupança ou título de capitalização. Em alguns casos o valor a ser 'investido' no título de capitalização pode variar entre 6 a 12 vezes o valor do aluguel, o que no nosso exemplo significaria ter que depositar de uma só vez o valor de R$6.000 a R$12.000, só para o seguro. Caso o inquilino corresponda aos seus deveres, ao entregar o imóvel sem dívidas e do mesmo jeito que pegou, irá receber de volta o valor pago como caução acrescido de juros e correção monetária. Entretanto, vale lembrar que o título de capitalização tem o rendimento muito abaixo da poupança e que em troca dessa redução há sorteios de prêmios que não necessariamente terá você como o vencedor. (Ai você queria alugar um imóvel e é 'obrigado' a 'investir' na sorte. Melhor comprar raspadinha! Pelo amor de Deus!)

Uma outra coisa que acontece muito quando se está procurando um imóvel é a cobrança de uma taxa de análise cadastral. Essa taxa que normalmente é cobrada para verificação da idoneidade do pretendente e do fiador do mesmo deve ser uma despesa do proprietário e não do possível inquilino! Normalmente é feita uma consulta ao SERASA que tem um custo de R$25,00 cada. Segundo a Lei do Inquilinato, no art. 22, inciso VII, fica bem claro que a taxa deve ser paga pelo locador: "VII - pagar as taxas de administração imobiliária, se houver, e de intermediações, nestas compreendidas as despesas necessárias à aferição da idoneidade do pretendente ou de seu fiador;" (Link para a lei no final do post) Fique de olho aberto e se planeje, afinal ainda tem a mudança, os custos com o imóvel que ainda reside, o ajuste desse mesmo imóvel, taxas de transferência de contas e toda uma adaptação a sua nova realidade.

É complicado ser proprietário e igualmente complicado ser inquilino. Independente da sua escolha, não se esqueça que tem direitos, mas que também possui deveres. 

Link para a Lei do Inquilinato:


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Me diga o que achou.. comente!