Vídeos no YouTube.. como chegar a R$1 milhão

Quem nunca se deparou ou até mesmo assistiu um vídeo no YouTube prometendo ensinar o passo a passo de como ganhar 1 milhão de reais?? (Má oi! É hoje que fico ricão!) Provavelmente você se sentiu engando logo após o fulaninho ou fulaninha falar que demoraria 50 anos pra conseguir essa quantia colocando R$300 por mês e até mesmo decepcionado quando percebeu que não havia milagre algum nem ao menos um pulinho do gato.

Sim é verdade, eu também já vi alguns desses vídeos e também me decepcionei. Não porque achava que ali naquele conteúdo teria a grande magia para que eu pudesse ficar multi milionário de uma hora pra outra, mas porque o conteúdo sempre se resume a: junte, invista com uma taxa X% e depois de algumas décadas, lá está o seu milhãozinho. (Esperava alguma dica realmente importante para quem estava iniciando ou até mesmo para quem já tivesse acumulado algum valor)

Imagem retirada do site: http://conteudo.imguol.com.br

É fato que o tempo é primordial nessa conquista (veja o post: O milagre dos juros compostos e entenda um pouco mais sobre a ação do tempo no acúmulo de riquezas) e que por causa disso acaba demorando muito para alcançar o patamar desejado, mas também é importante trabalhar com percentuais de retorno mensal que sejam factíveis. Não adianta falar de um retorno de 1% ou mais com uma pessoa que está começando a investir. (Aonde uma pessoa com investimento inicial de R$1.000 consegue um retorno desse? E olha que esse valor ainda pode ser alto demais para muitos que pensam em começar)

Com muito estudo e trabalho é possível alcançar 15% ou mais de ganho anual com a bolsa de valores, ainda assim esse não é um investimento para iniciantes. Certo, tivemos um período no qual os investimentos em renda fixa conseguiram alcançar um retorno bem alto e próximo desses 15%. Ainda assim, o valor inicial não era de R$300 ou R$500 por mês e sim de aplicação inicial mínima de R$5.000 ou R$10.000.

Ok! Você abriu aquele vídeo no YouTube que prometeu te ensinar tudo aquilo que você não sabe (Hanran), todo serelepe e pimpão, prestou atenção em cada detalhe e descobriu que depois de 50 anos colocando R$300 num investimento com retorno de 1% ao mês (vai saber que investimento é esse) terá o montante de aproximadamente 1 milhão de reais. (Deus seja louvado!) 

Veja bem, não estou dizendo que você não deva investir, muito pelo contrário, não desanime! Lembre-se que o tempo e a magia dos juros compostos irão te auxiliar durante essa empreitada. A minha crítica está direcionada a abordagem do tema, que pode dar a entender que é fácil alcançar o valor de 1 milhão, deixando muitas pessoas decepcionadas com o resultado real. Os ganhos iniciais podem ser mais baixos porque o valor investido é baixo, mas com o acúmulo você encontrará possibilidades mais rentáveis e sua fortuna irá crescer cada vez mais rápido.

Então invista sim, mas lembre-se: Não existe almoço grátis! Mas existe juros compostos!


Está caro ou está barato?

Uma pergunta que me vem sempre a cabeça na hora de comprar alguma coisa é: "Está caro ou está barato?" A resposta é muito relativa, pois pode ser que um determinado item a um preço X pareça caro pra uma pessoa, mas não pareça tão caro assim para outra. Talvez a outra pessoa ache até barato. (Eu acho que tudo está sempre caro! Essa é a minha desculpa pra não gastar dinheiro..)

Dependendo do seu perfil (pode ser mais liberal com o dinheiro ou mais apegado a ele), suas decisões podem acabar não sendo muito racionais. Elas podem te levar a comprar coisas por valores mais altos ou te fazer deixar de comprar algo que está barato porque você está achando que está caro demais. E aí, qual é a saída?


Fonte: Imagem montada pelo autor.

Eu procuro deixar em mente quando vale a minha hora. Sim! É isso mesmo. Pego todos os meus ganhos no mês e divido por 22 dias e depois por 8 horas. Assim sei quanto vale cada hora de trabalho. Com o valor de quanto vale cada hora, posso entender melhor quanto tempo levaria para juntar o dinheiro necessário pra comprar determinadas coisas e julgar se elas valem mesmo o esforço. É aí que surge a segunda pergunta: "Vale a pena trabalhar X horas pra comprar isso?" Se chegar a conclusão de que vale a pena ou de que vale muito a pena, eu compro! Caso contrário, o item nem sai da prateleira.

Para exemplificar, imagine uma pessoa que ganha R$1.500 por mês. Ela resolve calcular quanto ganha por hora (1.500 que é dividido por 22 dias e dividido novamente por 8 horas) e chega a conclusão de que a hora dela vale R$8,52/hora trabalhada (Isso sem impostos). Num passeio pelo shopping ela se depara com aquela promoção relâmpago que permitirá que ela compre um maravilhoso par de qualquer coisa (Ah.. sei lá o que ela quer comprar.. se fosse ela, investiria).. OK! São sapatos.. mas bem que poderia ser uma LTNzinha do Tesouro Direto, hein?! hein!? 

Continuando.. os sapatos custam a bagatela de R$30,00. Com isso, a tal pessoa chegou a conclusão de que teria que trabalhar aproximadamente 3 horas para pagar pelo sapato. Diante dessa informação, ficou muito mais fácil pra ela decidir se esse par de sapatos vale de fato seu esforço de 3 horas de trabalho ou não. Ela colocou seu emocional de lado, deixou pra lá a "pressão" do compre agora ou perderá uma bela oportunidade e parou para racionalizar a sua decisão. As chances dessa pessoa se arrepender por ter gasto esse dinheiro diminuiu muito!

Pense bem antes de fazer suas compras e saiba quanto vale a sua hora. E aí eu te pergunto: tá caro?